Ator de JoJo’s Bizarre Adventure é preso por posse de Droga



A polícia de Tóquio prendeu na segunda-feira (08) o ator Yusuke Iseya, de 44 anos, por posse de de drogas. O ator interpretou em 2017 Jotaro do filme live action JoJo’s Bizarre Adventure: Diamond Is Unbreakable.

Segundo a polícia, Yusuke estava portando cannabis (maconha) e foi atuado em flagrante. Os policiais teriam ido verificar o apartamento do ator a procura de mais produtos ilícitos e acabaram descobrindo mais quatro sacos de cannabis seca numa gaveta.

Também foi apreendido papel de enrolar no apartamento, e Yusuke foi preso pouco depois.

A agência que representa Iseya emitiu o seguinte comunicado:
"Este incidente é extremamente lamentável. Pedimos desculpas aos fãs e a todos os envolvidos por causar tanta preocupação e aborrecimento."

Yusuke Iseya é ator atuou em diversas séries de sucessos no seu currículo. O ator não apenas interpretou Jotaro Kujo no filme de 2017 JoJo’s Bizarre Adventure: Diamond is Unbreakable, mas também participou de 13 Assassins, Distance, The Passenger e Rurouni Kenshin onde interpretou Aoshi Shinomori.


Esta não é a primeira vez que uma estrela japonesa é presa por posse de droga. Em 2019, Masanori Taki, 51, mais conhecido por seu nome artístico Pierre Taki, foi preso sob suspeita de usar cocaína. Uma acusação anônima fez os policiais investigarem o ator que dublou Olaf na versão japonesa de Frozen.

O ator e cantor foi sentenciado a 18 meses de prisão após admitir o consumo de cocaína desde sua juventude. “Peço desculpas por causar problemas. Ficarei longe das drogas”, afirmou no tribunal, segundo o diário japonês The Mainichi.

Em 6 de novembro, snowboarder Kazuhiro Kokubo, que representou o Japão nos Jogos Olímpicos de Inverno de Turim (2006) e Vancouver (2010), de 31 anos, foi acusado de contrabando de 57 gramas de um produto derivado de maconha dos Estados Unidos ao Japão, o país anfitrião das Olimpíadas de 2020 que tem rígidas regras contra a cannabis.

Famosos flagrados com drogas são altamente criticados, tornando-se “párias” no arquipélago asiático. A detenção rende destaque negativo na imprensa japonesa, pressões por desculpas públicas e afastamentos acabando com sua carreira.

O Japão é um dos países que menos tolera o porte de maconha e outras drogas. A posse pode render até 5 anos de prisão e multa de milhares de dólares; o comércio, até 10 anos de prisão.

Em contrapartida, o consumo vem aumentando, assim como as decorrentes detenções nas ilhas nipônicas. Segundo os dados mais atuais divulgados pela polícia japonesa, 3.008 pessoas foram presas sob acusações associadas à maconha em 2017, ante a 2.536 em 2016 — os maiores consumidores são jovens adultos de 20 a 29 anos (9,4 prisões por 100 mil habitantes). Em 2018, foram registrados 3.578 casos (42,5% dos suspeitos detidos por posse estavam na casa dos 20 anos).